É melhor investir em um website ou em uma Fanpage (Facebook)?

Uma das questões mais apontadas por empreendedores, nos dias de hoje, é em relação a melhor forma de estabelecer estratégias de marketing digital. Seria mais interessante fazer investimento em um site para a empresa, ou, primeiramente, seguir para as
Postado por Grupo Adapta em 20/01/2017
Compartilhe:
É melhor investir em um website ou em uma Fanpage (Facebook)?

FAZER INVESTIMENTO EM UM SITE PARA A EMPRESA, OU, PRIMEIRAMENTE, SEGUIR PARA AS REDES SOCIAIS?

Uma das questões mais apontadas por empreendedores, nos dias de hoje, é em relação a melhor forma de estabelecer estratégias de marketing digital. Seria mais interessante fazer investimento em um site para a empresa, ou, primeiramente, seguir para as redes sociais e abrir uma fanpage, no Facebook?
 
Para tentar dar uma resposta satisfatória ao questionamento, primeiramente, devemos explicar o objetivo de cada tipo de ferramenta.
 
Website corporativo
Um site apresenta algumas características que podem se mostrar muito vantajosas para as empresas. Para começar, é totalmente customizável e pode ser modificado, quantas vezes for necessário, para ficar mais adequado ao perfil e objetivos de cada momento da corporação.
 
Além disso, um site permite que sejam agregadas outras plataformas, como blogs, por exemplo, que são capazes de ampliar a experiência do visitante, trazendo novas informações e agregando ainda mais valor à marca. Tudo isso, consequentemente, gera grande tráfego de clientes em potencial.
 
Como o espaço do site pode ser utilizado como a empresa – e o webdesigner – desejarem, é um suporte muito mais favorável à apresentação da missão, valores e visão de negócio, aproximando o público de tudo o que o empreendedor visa oferecer e conquistar.
 
Um site, quando bem feito e estruturado, passa uma imagem séria e profissional, criando uma aura de confiabilidade, o que também servirá como atrativo de clientes. 
 
Fanpage em rede social
A relevância de uma Fanpage está no fato de que é uma ótima ferramenta para criação de vínculo com uma audiência, fazendo com que a mesma se engaje na divulgação da marca, em uma espécie de marketing informal, ou, em outras palavras, é uma recriação da clássica “propaganda boca a boca”.
 
Dessa forma, a palavra-chave da fanpage é: objetividade, isto é, mensagens mais curtas e mais rápidas, para que o administrador dessa comunidade, consiga dizer o máximo, com o mínimo de palavras – a preferência, aqui, é para as imagens, sobretudo com teor humorístico. Apresenta-se sempre uma chamada com um hyperlink, que conduzirá ao conteúdo completo – e aí sim, mais aprofundado – dentro do próprio website da empresa. O público decide, então, se vale a pena ler mais sobre tal assunto, ou não.
 
Como a rede social é, essencialmente, um espaço virtual dedicado ao entretenimento, lazer, e voltado para a vida pessoal, as empresas devem sempre se preocupar em apresentar uma conduta muito cautelosa, de modo a não parecer estar invadindo o espaço íntimo das pessoas, causando um efeito nocivo à imagem pública do negócio.
 
Entre as sugestões mais importantes para uma abordagem inteligente em redes sociais está a discrição, com grande parte de informação, e pouca propaganda.

Qual o mais indicado para o seu negócio?
É importante salientar que o empreendedor precisa pensar, primeiramente, em fortalecer a base de seu negócio, e isso só é garantido através de um bom website corporativo. Só com uma plataforma robusta e completa, a empresa deve se preocupar em investir em redes sociais.
 
Inclusive, nos últimos tempos, o Facebook perdeu força, porque passou a limitar o alcance das postagens em fanpages – isso ocorreu devido ao surgimento das ações patrocinadas dentro dessa rede social, ou seja, para que uma postagem atinja mais pessoas, é necessário pagar uma quantia relacionada ao tipo de alcance que se deseja obter. Tal limitação tirou um pouco do poder de fogo do Facebook para o empreendedor de pequeno e médio porte, principalmente.
 
Outro dado relativo ao Facebook, é que o público jovem vem saindo dessa rede social e buscando alternativas – como o app de mensagens instantâneas Whatsapp, em mobiles – assim, dependendo do foco do negócio, o Facebook se torna menos atraente, sendo uma alternativa melhor, priorizar o website da empresa, de maneira mais eficaz.